Como celebrar a Festa Junina nas aulas online

Evento tem grande importância cultural e emocional nas escolas e pode ser celebrado no ensino remoto

festa junina escolaA Festa Junina é um dos eventos mais importantes no ambiente escolar. Professores, alunos e familiares se envolvem em uma celebração cheia de cultura, danças, brincadeiras, comes e bebes. Mas com a pandemia, muitas escolas brasileiras começam mais um mês de junho com as portas fechadas. Para manter a tradição viva, preparamos essa matéria com dicas para celebrar a Festa Junina nas aulas online.

O clima da Festa Junina na escola

Nas escolas, a Festa Junina muitas vezes coroa o final do primeiro semestre e toda a comunidade escolar “lava a alma”, reconhecendo as aprendizagens do período e colocando um “pé” nas férias. Esse costuma ser o clima em que se prepara a escola, que por muitas mãos – de alunos e professores – vai trazendo as cores e símbolos dessa data tão marcante. Os dias da festa trazem a marca própria de cada instituição escolar e também de seu contexto e região. De norte a sul, cada pedacinho do Brasil começa a se preparar: trajes típicos, comidas, bandeirinhas, chapéus, bigodes e trancinhas.

Origem da Festa Junina

Apesar de ser uma festa tão presente no nosso calendário, poucas pessoas conhecem a origem da Festa Junina. Pode ser interessante compartilhar essa história com os alunos.

Na Antiguidade, no Hemisfério Norte, várias celebrações aconteciam durante o solstício de verão – o dia mais longo do ano e que marca a passagem do inverno para o verão. Lá, ele acontece nos dias 21 ou 22 de junho. Estas festividades prestavam homenagens a diversos deuses, com o objetivo de “garantir” boas plantações, colheitas e a fertilidade.

Na passagem da Idade Antiga para a Idade Média, com a cristianização dos povos romanos e germânicos, a Igreja substitui o culto aos deuses pagãos e passou a celebrar os santos.

No Brasil, antes da chegada dos portugueses, os índios já faziam rituais em junho também ligados à colheita, com cantos, danças e comidas. Com a colonização, essas festividades se fundem, originando as Festas Juninas que se mantém até hoje.

É por isso que as festas celebram santos católicos, mas ao mesmo tempo oferecem uma variedade de pratos feitos com alimentos típicos dos nativos.

Os símbolos da Festa Junina

Todos nós conhecemos os elementos abaixo, mas será que sabemos o que eles representam? Converse com a sua turma a respeito!

A fogueira:

Presente nas festividades desde os tempos mais antigos – tanto nas celebrações pagãs quanto indígenas -, representa a luz, a vida e a transformação, e é acessa para agradecer a fertilização da terra e as colheitas. Com a cristianização, ganhou outra explicação: Santa Isabel (mãe de São João Batista) disse à Virgem Maria (mãe de Jesus) que quando São João nascesse acenderia uma fogueira para avisá-la. Maria viu as chamas de longe e foi visitar a criança recém-nascida.

Cada santo junino tem um tipo diferente de fogueira, sendo a de Santo Antônio quadrada, a de São João redonda e a de São Pedro triangular.

Os balões:

Tinham um papel de comunicação, anunciando a todos o início da festa. Seu significado espiritual também remete a comunicação com o divino, pois o balão vai da terra ao céu. Também era uma forma de agradecer aos santos pelos pedidos (namoros ou casamentos) atendidos. Como causavam acidentes e muitos incêndios, acabaram sendo proibidos, mas ainda é um elemento presente nas festas mantendo sua forma (não mais acesa) ou como lanterna para iluminar.

As bandeirinhas:

Simbolizam a espiritualidade e a proteção. Nelas, eram impressas imagens dos santos e foram ganhando cores e as formas que conhecemos. Presente também no budismo, com quem os portugueses tiveram contato no período das grandes navegações, que imprimem orações em tecidos coloridos para que os vento as leve e disperse.

A quadrilha:

Tem origem na corte francesa, nas danças de salão do século 17. Chegou ao Brasil no século 19, trazida pelos nobres portugueses, e foi sendo adaptada até fazer sucesso nas Festas Juninas. O baile representa a alegria e a vontade de viver.

Comidas típicas:

Simbolizam a fartura e a abundância, muito bem representadas pelo milho –de uma espiga, muitos grãos são semeados. A comida típica das festas é quase toda à base de grãos e raízes que nossos índios cultivavam, como milho, amendoim, batata-doce e mandioca. A colonização portuguesa adicionou novos ingredientes e hoje o cardápio inclui bolo de fubá, pé-de-moleque, pipoca, além das bebidas como quentão e vinho quente.

5 dicas para celebrar a Festa Junina remotamente

Além de explicar a história e símbolos da Festa Junina para os seus alunos, é possível criar um ambiente de celebração nas aulas online. Preparamos algumas sugestões para isso.

Fotos:

Através de fotos de anos anteriores, da própria família ou mesmo de obras de artistas que retratam o tema, acessamos a memória cultural, familiar e afetiva.

Essa memória nos conecta e resgata o sentido das Festas Juninas, e pode ser ampliado por novas informações e imagens trazendo seus elementos tradicionais – fogueira, bandeirinhas, brincadeiras, comidas, danças e música – e o significado de sua celebração – a colheita.

Repertório cultural:

Uma festa que acontece de norte à sul do país abrange a grande diversidade cultural brasileira. Que tal convidar os alunos a pesquisarem e desbravarem essa nossa riqueza? O que será elas têm em comum? O que as diferencia? Quais as marcas próprias da sua região? São algumas perguntas que podem nortear esse trabalho.

Comes e bebes:

Além de explicar o papel central que os comes e bebes tem na festa, é possível resgatar receitas típicas e ter a oportunidade de fazer algum prato com o grupo de alunos, por mais simples que seja, como uma boa pipoca ou milho verde.

Dança e música:

Não dá para dançar quadrilha? Os grupos de WhatsApp podem ser uma ótima ferramenta para compartilhar uma playlist com repertório musical diverso, que inclua as características regionais, a tradição e a história da Festa Junina. Que tal escolher a música preferida dos alunos e combinar uma apresentação entre todos?

Decoração:

Decorar os espaços é uma ótima maneira de transformar o ambiente e criar um clima temático e aconchegante. O convite é criar com o que se tem a mão! Barbante, fita, papel, jornal, revista, embalagens…. ganham vida pelas mãos das crianças e adolescentes. Quanto maiores são os alunos, mais complexos são os elementos que podem criar, de bandeirinhas a luminárias, tudo é possível utilizando poucos recursos. Há uma infinidade de tutoriais que podemos utilizar para apoiar a confecção dos elementos que se desejar. Mesmo quem não tem grandes habilidades manuais pode fazer parte. Os professores de Artes têm um prato cheio aqui!

Quer mais?

Então conheça as atividades de Corpo & Cultura da Vivescer. Elas fazem parte de uma jornada para professores, certificada em 32h, online e gratuita.

Afinal, Festa Junina sem corpo e cultura não existe, certo? Clique AQUI para fazer o cadastro e acessar o conteúdo.